Pages

22 de nov de 2009

Mandela - Luta pela liberdade


Assisti hoje ao documentário "Mandela - Luta pela liberdade" no canal futura.
Não havia escrito anteriormente nada aqui no blog sobre o dia da consciência negra, não porque não quisesse, mas por dois motivos, primeiro que qualquer coisa que eu vá escrever eu preciso ter inspiração e segundo porque estou estudando muito e passei o sábado e o domingo interinho trabalhando aplicando provas.

Mas este documentário que eu assisti me emocionou profundamente, primeiro pela coragem desse homem de dedicar a sua vida a uma causa política, em detrimento de sua vida pessoal, segundo pela coragem, pela ternura, pela firmeza de não acaitar o apartheid, de não aceitar migalhas de não aceitar negociar com o opressor enquanto se achasse na condição de oprimido. É preciso muita coragem para viver durante 13 anos numa prisão no meio de uma ilha cercada por tubarões, trabalhar numa pedreira por 10 horas diárias até suas mãos fazerem bolhas, ficarem em carne viva e manter-se firme diante do sonho, não desistir, não perder as esperanças... Penso que toda a força que ele teve para suportar todas essas coisas venha da tristeza de não querer ver seu povo oprimido, inferiorzado, ou discriminado, sob as mais perversas crueldades.

É preciso também ter a coragem a mesma das crianças de Soweto que lutaram contra a obrigatoriedade do Africander, língua criada pelo opressor, mais coragem ainda para permanecerem na rua atirando pedras contra um exército armado e nenhum sentimento de humanidade - da parte do exército - para exterminar todas aquelas crianças indefesas que já nasceram querendo liberdade.

Hoje ainda sob a indicação do blogueiro Erik Schunk, ouvi a matéria da rádio CBN sobre o racismo, e a diferença de tratamento entre uma pessoa negra e branco no comércio carioca.

E fico aqui pensando que a mesma coisa que Mandela desejava há muitos anos, Justificarainda é algo que muitos desejam, igualdade, igualdade de tratamento de oportunidades...

Li ontem um texto no blog A Trolha sobre as cotas e gostei muito, sempre defendi, acredito e volto a defender, que a melhor forma de oferecer igualdade é tratar desigualmente os desiguais, como no caso das cotas e oportunizar igualdade em forma de vagas nas melhores universidades públicas do país.

Voltando ao documentário, teve uma parte que realmente me emocionei foi quando falou sobre o "Tribunal de Reconciliação", um tribunal onde as vítimas da violência do apartheid e as vítimas da luta armada do CNA partido ligado a Mandela, se encontravam se pronunciavam, recordavam os fatos e se perdoavam... emocionante.

Numa das cenas uma pessoa conta que indagaram Mandela, ridicularizando o Tribunal da Reconciliação: "É muito fácil falar de perdão, mas o que você entende de sofrimento?" e Mandela teria respondido: "27 anos". Extamente todo o tempo em que ele lutou pela África do Sul livre...

O documentário "Mandela - Luta pela liberdade" salvou meu domingo, me deu alento, e forças para começar mais uma semana, além da inspiração para este texto.

Um comentário:

David disse...

Este documentário é simplesmente sensacional!
Gostaria de revê-lo, mas não o encontro de jeito nenhum. Se souber onde encontro, favor avisar.
Grande abraço,
David.