Pages

30 de jul de 2009

Rio, setembro: UBES prepara maior CONEG de sua história



O 12º Conselho Nacional de Entidades Gerais da UBES será realizado entre os dias 05 e 07 de setembro, no campus da UERJ, na cidade do Rio de Janeiro. O fórum aprovará o regimento e convocará o 38º Congresso da entidade, além de deliberar sobre o documento que a UBES levará como contribuição aos debates da Conferência Nacional de Educação.

Para Ismael Cardoso, presidente da UBES, os principais objetivos deste Conselho são mobilizar toda a rede do movimento para a construção de um grande congresso e unificar os estudantes para influenciar decisivamente na Conferência de Educação. "A UBES fará seu Congresso, no final deste ano, elegendo delegados através de votações, em urna, em escolas de todo o Brasil. Isso significa que teremos milhões de estudantes envolvidos no processo, o que vai favorecer o debate político de alto nível e a organização do movimento secundarista para levar esses milhões para as ruas. O Coneg vai dar a largada nesse processo e, por isso, precisa ser o maior de nossa história", diz.

"Com a Conferência Nacional de Educação na ordem do dia, temos o desafio de sair unidos do Coneg, cientes de que é responsabilidade desta geração de estudantes conquistar a nova escola, o fim do vestibular e tantas bandeiras pelas quais lutamos há décadas", completa Ismael.

Novidade desta edição, será realizado junto ao Coneg o 1º Encontro Latino Americano dos Estudantes Secundaristas, inciativa que deve reunir jovens de Cuba, Venezuela, Argentina, Uruguai, Paraguai, Colômbia, Nicarágua, Chile e Equador. "Temos ainda a expectativa de trazer representantes do movimento estudantil de Honduras, país que vive hoje a difícil realidade de um golpe militar que depôs o presidente legítimo", afirma Osvaldo Lemos, diretor de Relações Internacionais da UBES.

"Queremos, nessa ação conjunta com a OCLAE, demonstrar a solidariedade dos estudantes de todo o continente com a luta dos hondurenhos e debater formas para ajudá-los na resistência, além de integrar cada vez mais as ações do movimento na América Latina", acrescenta.

Nenhum comentário: