Pages

28 de mar de 2009

Patrimônio do Interior











Eu poderia começar este blog falando sobre muitas coisas, mas resolvi homenagear um homem formidável, um tipo raro, que foi o meu avô.

Vou contar um pouco sobre a vida dele.

Ernesto Barreto Ribeiro nasceu e cresceu em Barra de São João, localidade hoje pertencente ao município de São Francisco de Itabapoana. Ainda garoto e morando na fazenda, acompanhou a trajetória política de seu pai. Edelweiss Nunes Ribeiro que foi nomeado duas vezes administrador do município de São João da Barra por Getúlio Vargas no período de 1944 a 1946. Acredito que muito da personalidade política de Ernesto tenha se forjado do convívio e da experiência com seu pai.
Estudou e concluiu seus estudos em Campos, serviu ao Tiro de Guerra (serviço militar), na cidade de Niterói em 1938.

De volta a Barra de Itabapoana, passou a cuidar da fazenda do pai, da plantação de mandioca, da fábrica de farinha e da produção de aguardente artesanal.
Casou-se em 1944 com Lucy Henriques Paes, desse casamento tiveram 6 filhos: Décio, Durval, Edson, Ana Maria, Tereza, Luciane e Juarez.

Homem dotado de bons valores morais, sempre lutou e buscou ajudar aos mais necessitados. Passou a dedicar-se a vida pública em fins da década de 40, sendo eleito vereador e deputado estadual antes de tornar-se prefeito. Elegeu-se prefeito e governou São João da Barra, em seu primeiro mandato, pelo período de 1955 a 1959. Sendo seu segundo mandato, de 1973 a 1977, sendo lembrado e admirado até os dias de hoje. Reformou o prédio da Prefeitura, ampliou o sistema de esgotos, construiu postos de saúde, ornamentou e aterrou a orla da praia de Atafona para que os carros tivessem melhor acesso à beira-mar.

Ernesto foi cabo eleitoral dos políticos Tógo de Barros, Celso Peçanha, Alair Ferreira, e Afonso Celso Ribeiro de Castro. Participou da campanha do ex-prefeito Pedro Cherene e exerceu a função de fiscalizador de obras públicas.

O historiador sãojoanense João Oscar, em seu livro “Apontamentos para a história de São João da Barra”, refere-se a Ernesto como sendo um “homem dinâmico, às vezes impulsivo, dotado de notável capacidade de trabalho.” Admirado por aliados e adversários políticos, marcou sua carreira política pela realização de obras, tendo sido por ele calçada a primeira rua em São João da Barra, a Avenida Thomaz de Aquino Filho.

Aos 85 anos, e sofrendo com câncer no pulmão, faleceu no dia 1 de janeiro de 2006.
Lembro que em 2000, numa conversa informal, indaguei meu avô sobre sua vida política e ele assim se referiu a sua carreira com lágrimas nos olhos: “- Minha neta, não existe mais espaço no mundo atual para um político como eu. Eu fui um político romântico, da época em que se fazia política por amor, idealismo. Hoje em dia a política é feita pelo dinheiro”.

No dia de seu enterro eu finalmente consegui compreender também com lágrimas nos olhos o que meu avô, me disse anos atrás. Não existe mais lugar nesse mundo para ele. Mas ele permanecerá vivo na memória de todos aqueles que admiraram sua força política e seu lado humano como um senhor sãojoanense uma vez me disse: “Seu avô é o patrimônio do interior!”

2 comentários:

Assessoria de Comunicão disse...

Muito bom artigo sobre a vida desse admirável senhor.

Juarez Dutra Mota

Marcelo Bessa Cabral disse...

Bela homenagem: parabéns!