Pages

26 de mai de 2009

IFF promoverá audiências públicas para discutir PDI

IFF Fluminense anuncia audiências públicas

Em coletiva à imprensa a reitora do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia Fluminense, Cibele Daher anunciou que o IFF está de portas abertas à comunidade. Ela esclareceu que todos os segmentos representativos da sociedade vão ter a chance de participar de audiências públicas que acontecerão em todos os campi. As sugestões e idéias debatidas durante as audiências vão ser usadas na elaboração do Plano de Desenvolvimento Institucional. O PDI é um plano de ações que vai definir como a instituição pode contribuir com o desenvolvimento regional, além de traçar metas, políticas e estratégias. Ele envolve cinco ações que já estão sendo realizadas: reuniões com a comissão dos representantes dos campi; consulta à comunidade interna; audiências públicas; reuniões setoriais da Instituição, entre elas, gerências educacionais, pedagogos, etc; e encontros das esferas públicas envolvendo o IF Fluminense, as Coordenadorias Estaduais de Educação, as Secretarias Municipais de Educação, de Ciência e Tecnologia e de Planejamento.

O objetivo é que todos possam participar democraticamente das discussões do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e da elaboração do Estatuto, já que através da educação, o IF Fluminense contribui com a formação de jovens e o desenvolvimento das potencialidades locais e abrange hoje seis campi nas regiões Norte, Noroeste e Lagos, com cerca de 12 mil alunos e uma média de um mil servidores.

Simultaneamente acontecem as discussões do novo Estatuto junto a comunidade interna com a representação de 15 pessoas dos diversos campi: Campos, Guarus, Macaé, Cabo Frio, Itaperuna e Bom Jesus. Estes representantes analisam a minuta enviada pelo MEC, no dia 14 de maio, fazem emendas, sugestões e transformam tudo em relatório que deverá ser enviado ao MEC até o dia 29 de junho. A aprovação do Estatuto, pela SETE/MEC, será no prazo máximo de até 45 dias, quando após essa data, poderão ser constituídos os novos Conselhos Superiores, o que permitirá o início dos processos eleitorais para diretor geral dos campi.

A medidas para constituir a nova institucionalidade do IF começaram logo após a posse da Reitora em 29 de janeiro. Primeiro foi Instalado do Colégio de Dirigentes, formado pelos pró-reitores e pelos Diretores Gerais de todos os campi do IFF. Depois houve reuniões com os servidores de todos os campi para esclarecer os pontos principais da mudança de CEFET para Instituto Federal Fluminense. Em seguida, houve a convocação do Conselho Diretor, cujos membros foram comunicados sobre a instalação da Comissão que daria início aos trabalhos de avaliação do Estatuto e de elaboração do PDI, bem como da necessidade de após este período termos a instalação do novo Conselho Superior do IFF. Como o ano letivo só começou em março e havia necessidade da participação de toda a comunidade na discussão, em 17 de abril, foi publicada a portaria da Portaria 203, que estabelece a comissão que trata da elaboração do PDI e Estatuto envio de ofícios a todos os participantes, para que enviassem os nomes de seus representantes para a primeira reunião que ocorreu em 12 de maio. A partir desta reunião, foram iniciados os trabalhos, sendo estabelecido um cronograma de atividades para se dar conta em tempo hábil da elaboração dos dois documentos.

Perspectivas para a região e o IF Fluminense

A área de abrangência do IF Fluminense - que inclui unidades em Campos, Bom Jesus, Itaperuna, Macaé, Cabo Frio, Quissamã e São João da Barra - está na linha de produção e investimento do país no que diz respeito a petróleo, etanol e megas empreendimentos como Porto do Açu e o estaleiro de Barra do Furado, que juntos já estão mudando radicalmente o cenário local.

Por isso, as expectativas de emprego, a demanda por mão-de-obra especializada e de formação profissional estimulam a elevação do nível de escolaridade da população local. Dentro desse contexto, entre as metas do Instituto Federal Fluminense está a ampliação de vagas para atender essa demanda e a sintonia com o desenvolvimento local e regional.

De acordo com dados do IBGE (2005) são aproximadamente 290 mil trabalhadores contratados nas mesorregiões Noroeste, Norte e Baixadas, ou cerca de apenas 9% da mão-de-obra formalmente ocupada no Estado do Rio. Em todo o Estado o mercado de trabalho ainda absorve cerca de 14 mil analfabetos. No Noroeste Fluminense, por exemplo, onde está inserido o campus Itaperuna, apenas 11% do pessoal ocupado possuem nível superior, enquanto a média estadual é de 22%. Nesta mesma região, cerca de 86% da mão-de-obra têm rendimento de até três salários mínimos e no Norte Fluminense, 60,6%.

Todos esses dados reforçam a importância da educação profissional nessas regiões em que o IF Fluminense está inserido garantindo que, de acordo com dados do Ministério da Educação, o índice de empregabilidade de alunos que fazem cursos em escolas técnicas federais chegue a 72% e, dentre os empregados, 74% trabalhem em locais com distância máxima de 50 Km de onde estudaram.

O IF Fluminense não representa apenas um crescimento no número de instituições de ensino, mas também um projeto educativo estruturado na diversidade dos municípios, na intervenção na sociedade nos aspectos de educação, ciência e tecnologia e na potencialização da necessidade de pesquisa e ações de extensão.

Cronograma para as discussões do PDI

Além das reuniões internas com representantes dos campi de diversas áreas, a elaboração do PDI vai contar com a participação de representantes do poder público.

No dia 4 de junho acontece em Cabo Frio um encontro de integração das políticas de Educação profissional e tecnológica do IFF às demais esferas publica com Secretários de Educação, Ciência e Tecnologia, Secretários de Planejamento e Coordenadores Estaduais de Educação dos municípios da Baixada Litorânea. No dia 18 de junho é a vez do campus Macaé com as presenças dos Secretários de Educação, Ciência e Tecnologia, Secretários de Planejamento; Coordenadores Estaduais de Educação dos Municípios de Macaé e Quissamã.

No dia 25 de junho o encontro será em Campos no campus Centro com Secretários de Educação, Ciência e Tecnologia, Secretários de Planejamento; Coordenadores Estaduais de Educação dos Municípios de Campos dos Goytacazes e São João da Barra. Já no dia 9 de julho é a vez do campus Itaperuna com representantes deste município e de Bom Jesus do Itabapoana.

As audiências públicas com a comunidade, em geral, acontecerão nos seis campi do IF Fluminense e serão informativas. Por terem este caráter, acontecem em julho, após o prazo estipulado pelo MEC. Nelas serão apresentados a estrutura do Instituto, o PDI, além da participação da população através de perguntas. A comissão também vai criar uma urna com perguntas à comunidade no intuito de fazer um raio-x da percepção das pessoas em relação à Instituição.

14/7 – Audiência Pública no campus Bom Jesus do Itabapoana

16/7 – Audiência Pública no campus Itaperuna

21/7 – Audiência Pública no campus Campos-Guarus

23/7 - Audiência Pública no campus Campos-Centro

28/7 - Audiência Pública no campus Macaé

30/7 - Audiência Pública no campus Cabo Frio

texto: ímpar comunicação

foto: Hugo prates

Nenhum comentário: